Arqueólogo francês diz que a Estação Arqueológica do Dungo deve ser elevada a património cultural

O arqueólogo francês Manuel Gutierrez apelou ao Estado angolano, nesta quinta-feira, no município da Baía Farta, em Benguela, para que se eleve a Estacão Arqueológica do Dungo à categoria de património cultural. 

O pesquisador revelou que a Estação em causa tem a concentração de peças líticas mais antigas do continente africano, com mais de dois milhões de anos e informou à Angop que foi descoberto igualmente ossada de uma baleia próxima de peças líticas, o que indica que os antepassados utilizaram o mamífero para a sua alimentação algo inédito em África e no mundo.

Manuel Gutierrez, professor da universidade de Paris, trabalha na Estacão Arqueológica da Baía Farta desde 1992, estando actualmente a tutelar os trabalhos de defesa de doutoramento da estudante angolana Maria Benjamim, sobre a cerâmica antiga.

A Baía Farta tem 12 estacões arqueológicas e serve de campo para os estudantes da Universidade Katyavala Buila, há 15 dias os alunos descobriram uma cerâmica antiga na Cachama, nos arredores daquela localidade de Benguela.

 Fonte: Sol
Print Friendly Version of this pageImprimir artigo Get a PDF version of this webpagePDF

Utlizador

Sobre o utilizador

comments powered by Disqus

últimas 20 notícias

acompanhe - nos pelo facebook